Principais Tendências de Design Gráfico para 2020

Como ainda estamos no início do ano acredito que ainda é viável escrever sobre as tendências de design gráfico para 2020.
Geralmente novas ideias e abordagens surgem na transição entre décadas, isso também acontece quando falamos sobre a evolução do design gráfico. Então, à medida que avançamos a partir de 2010 à década de 2020, quais são as tendências emergentes que devemos estar atentos?

1 – Minimalismo Mais Presente

Flat Design

Aproximadamente de 2015 pra cá, temos visto o flat design minimalista predominar no mundo do digital. Os designers da Grady Britton acreditam que a tendência só vai intensificar à medida que entramos década de 2020. “Mantendo a busca contínua de transparência e honestidade no marketing, o design continuará em direção a uma apresentação muito mais simples e direta”, diz grupo diretor criativo Brian Dixon.

Mesmo flat design tendo suas origens para o digital, os seus princípios começaram a influenciar a mídia impressa. “Cada vez mais, estamos vendo conteúdos analógicos sendo fragmentado em uma hierarquia mais “user-friendly”, tornando conteúdo relevante para o leitor mais fácil de encontrar ‘diz ele.’

Apesar do flat design tem uma reputação de ser frio e insensível, não precisa ser assim. O diretor de arte sênior Adam Murdoch acredita que, em 2020, o design minimalista será quente e aconchegante através do uso da paleta de cores adequada.

2 – Evolução dos Gifs

“Algo que temos visto mais e mais de marcas em 2019 são animações que dão vida as mensagens em uma forma divertida e inovadora”, diz Steve Sharp. “Assim como GIFs crescem em popularidade em todas as plataformas de mídia social, animações também têm crescido em rapidamente e são mais populares no e-mail marketing e design dos sites do que nunca.”

Mark Chatelier, diretor executivo de criação da StormBrands, concorda. “Nós estamos vendo mais marcas usar GIFs para oferecer respostas rápidas e ao longo do ano, por exemplo a pequena animação no Twitter do Google para Movember” E ele acredita que uma abordagem alternativa para GIFs vai começar a remodelar a paisagem digital no próximo ano.

3 – Multissensorialidade no Motion

Ainda não separou um tempo para aprender motion design? Então 2020 seria um bom momento para fazer isso, pois a demanda nessa área é cada vez maior. “Motion Design e imagens em movimento estão se tornando mais popular do que stills”, diz Davide Baratta. “Houve um aumento de expressões sobre o keyframe clássico no motion design.”

E isso é por uma boa razão. “As marcas estão se tornando mais conscientes de quão o motion design é importante.”, diz Iain Acton, chefe de motion design na DixonBaxi. “Não apenas como uma ferramenta para unificar todos os aspectos de seu design, mas também para comunicar ainda mais suas principais mensagens. Uma comunicação de motion bem pensada permite que você fale com uma voz única, ajudando você a se destacar em um mundo cada vez mais barulhento.”

E ele salienta que motion design não é mais apenas sobre ‘animar o logotipo’. “Aqui no DixonBaxi, motion design é uma parte vital de cada projeto desde o primeiro dia”, diz Acton. “No próximo ano eu espero ver mais projetos que convidar vários artistas para colaborar, como vimos no início deste ano com tanto BBC2 e ITV. Também espero que o uso de código para continuar a crescer como pessoas a construir novas ferramentas para resolver problemas criativos, resultando em ideias novas e excitantes que ampliem os limites de design “.

4 – 3D Abstrato e Cores Vibrantes

3D Abstrato

Talvez como uma reação a popularidade do flat design, ao longo do último ano vimos muitas artes abstratas 3D. “Atualizações de software que democratizaram a renderização 3D estão colaborando com esta tendência”, observa Tamryn Kerr, diretor de criação associado da VMLY & R. “O trabalho impressionante produzido para o Festival Peninsula Greenwich por Droga5 é um grande exemplo, tanto nos cartazes quanto animação.

Consuela Onighi, UX Designer na Ilustre digital, está vendo coisas semelhantes. “Tenho notado que ao longo dos últimos meses, a maioria dos projetos criaram uma sensação 3D combinando camadas de tipografia, imagens e formas abstratas, muitas vezes reflexo da marca da empresa, para criar profundidade”, diz ela. “Isso é muitas vezes emparelhado com brilho, cores e gradientes vibrantes, que eu acredito que vai se tornar uma tendência forte no próximo ano também.”

5 – Foco na Geração Alpha

Geração ALPHA

Caso você não tenha percebido, a geração do milênio(Y) está chegando aos quarenta anos, a geração Z está na casa dos vinte e o foco dos especialistas em branding está começando a recair sobre a geração Alpha: os nascidos durante os anos 2010. “Geração Alpha tem agora por volta de dez anos de idade”, explica Lee Hoddy, parceiro criativo no Conran Design Group. “Mas o que falta em idade, eles mais do que compensam em termos de influência na dinâmica familiar e comportamento gastar; dessa forma se alguma marca ignorá-los será por sua conta e risco em 2020.”

A Geração Alpha interage com tecnologia mais naturalmente e instintivamente que qualquer geração anterior, e isso vai influenciar os pontos de contato da marca e micro comportamentos profundamente. “O branding é mais suave, há mais empatia, mais integração. É sutil, é inteligente, e é significativo no seu dia-a-dia.”

6 – Sustentabilidade

Sustentabilidade

O foco na sustentabilidade no momento não está apenas afetando a aparência dos projetos, mas o próprio processo de design. “Mais marcas estão tentando dar uma contribuição positiva, migrando para abordagens inovadoras de embalagens, como o uso de materiais recicláveis ​​ou de origem ética”, diz Charlie Smith, diretor criativo da Charlie Smith Design. “Os tipos de tintas que usamos, os diferentes acabamentos que vemos e os materiais que especificamos estão contribuindo para uma tendência de design mais discreta, e isso deve ganhar impulso em 2020”.

“A questão global de sustentabilidade e impacto sobre a mudança climática é um tema primordial que atravessa as mentes criativas todas as nossas equipes de design e produção”, diz Steve Austen-Brown, diretor de criação da Avantgarde Londres. “Este tópico ressoa com todas as marcas com que trabalhamos. Nossa abordagem para a sustentabilidade tem sido fundamental na forma como lidamos com design 3D espacial. Os materiais e o tempo de vida útil de reutilização e reciclagem de estruturas e ambientes também estão se espalhando para o modo como pensamos em outras disciplinas de design “.

7 – Novas perspectivas sobre gênero e sexualidade

Mudança de atitudes de gênero e sexualidade estão determinados a ter um grande impacto sobre a forma como evoluirá indústria neste ano. “Design, em 2020 será mais humano focado, comemorando o benefício e os atributos individuais atraentes do produto, e não apenas para quem ele é”, diz Lee Hoddy. “Nós vamos ver ainda mais marcas se afastando da tradicional abordagem: ‘Isto é projetado para uma mulher, portanto, ele precisa ser rosa’ e, em vez celebrar a personalização e a pessoa real por trás do produto.

“Nosso trabalho como designers será mais do amigo crítico, desafiando o que foi projetado, o que este diz, e por que ‘continua ele.’ Como as marcas se comportam e se posicionam neste ambiente vai levantar questões com os consumidores que poderão ter um impacto duradouro em vendas e rentabilidade “.

8 – Um Espírito de Rebelião

Vivemos tempos caóticos, e isso está tendo uma clara influência nas indústrias criativas, acredita Maisie Benson, designer do B&B Studio. “As pessoas estão se voltando para o ativismo individual para tentar lidar com o crescente senso de incerteza da sociedade, e estamos vendo essa rebeldia assertiva se transformar em design”, explica ela. “A identidade verbal e o tom de voz nunca foram tão importantes, e 2019 viu um aumento na ousada repetição de palavras e frases na tipografia. Também vimos um tipo mais delineado, outro protesto visual às regras tradicionais de legibilidade e mensagens. E as marcas que tentam replicar essa estética de maneira inautêntica certamente sentem a reação.

Os designers estão sendo energizados pelos responsáveis ​​pelas mudanças nas bases e também estão cientes de sua própria capacidade de moldar as mudanças, acrescenta ela. “Portanto, estamos vendo fontes inspiradas em mensagens de protesto manuscritas do Muro de Berlim, bem como nas letras de Greta Thunburg”.

9 – Aumentando a Confiança na Marca

Storytelling

Storytelling tem sido a base do branding há alguns anos. No entanto, Andy Askren, sócio e diretor de criação da Grady Britton, acredita que as marcas em 2020 estarão sob maior pressão do que nunca para fazer essas histórias parecerem autênticas e críveis.

“Mais marcas, antigas e novas, trabalharão para introduzir ‘raízes’ em suas histórias, da maneira que puderem”, prevê ele. “Isso já vem há um tempo, mas vai explodir este ano.” E que truques visuais os designers podem usar para ajudar nesse esforço? “Haverá um olhar contínuo para o passado em busca de inspiração”, acredita Askren. “Fontes mais pesadas e redondas misturadas com fontes serif maiores e mais pronunciadas, cores saturadas e sugestões de design dos cofres serão o que há de mais quente”.

Fonte: https://www.creativebloq.com/

2 Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Optimized with PageSpeed Ninja